O índice Ibovespa recua depois de atingir uma alta histórica; a atenção continua voltada para o mercado externo e Brasília.

EM ALTA

Por Augusto Decker, Valor — São Paulo

15/12/2023 13h05 Atualizado há 10 horas

O Ibovespa está em queda após ter fechado no maior patamar da história no dia anterior. O índice está passando por ajustes e agentes econômicos estão acompanhando os sinais vindos do Federal Reserve (Fed, banco central americano) e de Brasília. Nos primeiros negócios do pregão, a referência local chegou a superar o máximo histórico intradiário, mas perdeu força em seguida. Os agentes econômicos estão acompanhando os sinais vindos do exterior e a pauta econômica em Brasília.

Perto das 13 horas, o Ibovespa está caindo 0,31%, aos 130.436 pontos. A mínima intradiária é de 130.097 pontos, enquanto a máxima alcançou os 131.661 pontos, o maior patamar intradiário já registrado em valor nominal. O volume financeiro projetado para o índice no dia é de R$ 24,15 bilhões. Em Nova York, S&P 500 está subindo 0,09%, aos 4.624 pontos, Dow Jones está operando em estabilidade, a 37.249 pontos, e Nasdaq está ganhando 0,57%, aos 14.845 pontos.

O Ibovespa iniciou o pregão em alta e chegou a renovar a máxima histórica intradiária. Entretanto, no final da manhã, o índice perdeu força e entrou em terreno negativo. Parte da desaceleração se deve a um ajuste, após o índice alcançar uma sequência positiva e fechar no maior patamar nominal da história no dia anterior. Além disso, os sinais do exterior tiveram um impacto negativo.

O presidente da filial do Fed de Nova York, John Williams, disse à rede de televisão americana CNBC que cortes de juros nos Estados Unidos não estão sendo discutidos, uma declaração mais hawkish do que os sinais emitidos nos últimos dias pela entidade. De acordo com ele, o foco agora é saber se os juros estão restritivos o suficiente para garantir que a inflação volte ao patamar de 2%. “Esta é a discussão que está diante de nós”, afirmou.

No âmbito local, o evento mais importante do dia é a tramitação da pauta econômica no Congresso. Recentemente, a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base da Medida Provisória das subvenções, considerada a mais importante para o governo na tentativa de aumentar as receitas e eliminar o déficit primário no próximo ano. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse pela manhã que também pretende votar a reforma tributária ainda hoje.

Entre as ações de peso no índice, os papéis ligados às commodities metálicas estão em destaque positivo, com altas de Vale ON (+0,82%), Usiminas PNA (+2,64%) e CSN ON (+2,56%). Por outro lado, varejistas como Casas Bahia ON (-9,20%), Magazine Luiza ON (-4,94%) e Grupo Soma ON (-3,81%) lideram as perdas.

Siga nosso canal e receba as notícias mais importantes do dia!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *