A situação envolvendo o tio e o avô que abusavam sexualmente de todas as crianças da família.

Uma investigação conduzida pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) concluiu que todas as crianças de uma mesma família – duas meninas, de 9 e 12 anos, e um menino, de 8 – eram estupradas constantemente pelo tio e pelo avô. Os abusos sexuais ocorreram durante três meses, quando as vítimas estavam de férias na casa dos agressores, em Mundo Novo, Goiás. No dia 4 de dezembro, os dois criminosos foram presos preventivamente pelos investigadores da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia). Os nomes deles serão mantidos em sigilo para proteger as crianças.

Os estupros aconteceram entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019, mas a PCDF só tomou conhecimento do caso em abril de 2022, quando o pai das meninas suspeitou do crime e fez um boletim de ocorrência na 26ª DP.

O pai percebeu a mudança de comportamento de uma das filhas quando elas voltaram para casa, em Samambaia. A menina tornou-se retraída e relutava em sair do quarto. O pai decidiu procurar a psicóloga da igreja, que suspeitou de abuso sexual e orientou o pai a denunciar o caso na delegacia. Durante o depoimento especial das meninas, todos os detalhes sobre os estupros foram revelados.

As meninas contaram que costumavam ser abusadas à noite pelo tio e pelo avô, que se revezavam nos abusos. Tudo começou quando elas, com medo de dormir sozinhas, decidiram dormir no quarto do tio. Ele abaixava as roupas delas e acariciava suas partes íntimas. A menina de 12 anos também relatou que o tio a levou para um local isolado, forçou beijos na boca e teve relações sexuais com ela. As crianças eram ameaçadas pelo criminoso, que dizia que ninguém acreditaria nelas se falassem sobre os abusos.

Depois dos estupros, o tio ainda obrigava a menina a tomar a pílula do dia seguinte e outros anticoncepcionais. Quando tentavam escapar dos abusos do tio, as meninas eram violentadas pelo avô. Segundo o pai das vítimas, a mãe delas tinha conhecimento dos estupros desde 2021, mas não tomou nenhuma atitude.

O avô também abusou sexualmente de outro neto, um menino de 8 anos que morava próximo a ele. Após a instauração do inquérito, os criminosos foram presos em Goiânia e trazidos para o DF, onde aguardarão julgamento na prisão.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo!

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre o Distrito Federal pelo WhatsApp do Metrópoles DF: (61) 9119-8884.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *