A Alemanha nega a alegação da Rússia de estar se preparando para uma guerra total.ções da Rússia de estar planejando uma “guerra total” contra o território russo, classificando tais alegações como “propaganda absurda”. A controvérsia surgiu após o vazamento de uma ligação confidencial entre militares alemães de alto escalão das forças armadas.

fgang Büchner, rejeitou veementemente as alegações feitas pelo Kremlin, afirmando que as mesmas são uma tentativa de disseminar desinformação e gerar polêmica. A conversa divulgada, envolvendo oficiais da Força Aérea alemã discutindo o fornecimento de mísseis de longo alcance para a Ucrânia, gerou uma série de reações por parte das autoridades russas.

<br><br>

Por sua vez, o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, considerou que a ligação evidencia planos concretos por parte do exército alemão para um eventual ataque ao território russo. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, interpretou as discussões vazadas como um sinal de que a disposição para conflitos bélicos na Europa ainda é significativa, com o intuito de causar uma “derrota estratégica da Rússia em campo de batalha”.

<br><br>

Em resposta, o chanceler alemão, Olaf Scholz, descartou a possibilidade de enviar os mísseis Taurus, argumentando que tal ação implicaria no envolvimento de tropas alemãs na Ucrânia e poderia aumentar a escalada do conflito. O ministro da Defesa da Alemanha, Boris Pistorius, caracterizou o vazamento como parte de uma estratégia de desinformação promovida por Putin.

<br><br>

Para Christian Wagner, representante do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, a interceptação russa visa reforçar uma narrativa de agressão ocidental, desviando a atenção do fato de que a Rússia está envolvida em um conflito de agressão contra a Ucrânia há mais de dois anos.

</div>

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *